Por que eu pareço uma menina

Hoje em dia, é supernormal começar uma amizade ou algo mais por mensagens de texto no celular. Se você quer que aquela menina comece a gostar de você também, um dos jeitos mais fáceis e garantidos é usando mensagens de texto. É só conseguir manter a cabeça fria, pegar seu celular e fazer o melhor que você pode. A resposta é simples. Eu não quero. E eu não me pareço com um homem. Eu me pareço com uma mulher que se recusa a fazer a performance da feminilidade. Minhas pernas peludas não me fazem ... Sou igual a minha mãe, e sou igual uma menina, e isso me deixa com raiva, eu me olho no espelho e começo a rir pensando 'meu deus eu sou uma menina', ai olho pro meu irmão cheio de barba, igual um menino, meu cabelo ta grande (igual de menina, mas nao tao grande), minha cara é igual da minha mãe, sou praticamente uma miniatura dela A anos atrás quando fui perder a virgindade o cara disse que a minha ppk era muito fechadinha, ai depois se levantou e disse que eu parecia uma menina de 12 anos sexualidade entre na sua conta para poder responder. “Mamãe, por que eu penso como menino, mas pareço menina?” Logo aos 3 anos de idade, Joel Shatford sabia que não estava à vontade em seu corpo de menina. E eu não me pareço com um homem. Eu me pareço com uma mulher que se recusa a fazer a performance da feminilidade. Minhas pernas peludas não me fazem parecer masculina, elas são MINHAS pernas ... Eu tenho 13 anos, sou uma menina normal, hétero e tals! Mas meu único problema é que todos no meu colégio me chamam de: Menina-Homem, e eu não me sinto bem com isso, e sinto muita vergonha também! Meu estilo é bem normal sabe? Uso uniforme baby look para parecer mais menina mas não funciona. Eu ando mais com os meninos porque as meninas não são muito 'amigáveis' e eu não sei como ... Quando tiro selfie pareço ter uns 17 também, mas de longe por eu ser alto pareço ser da minha idade, se tu não toma sol da a impressão que a pele envelhece mais lentamente. Um deles era a imagem de um menino e uma menina. Ela descobriu a fotografia como uma criança, escondido em uma caixa de cedro. Ele não conseguia descobrir quem é a garota na foto era porque era, obviamente, uma foto dele. Ele também não conseguia entender por que suas costas Ricky ler e Francie, quando seu nome não foi Ricky. Ricky e Francie Até que uma senhora veio em minha direção e disse a seguinte frase: Por causa da cor de seus cabelos,que eles estão agindo assim. E completou dizendo:Bruxos não são bem vindos aqui, vá embora pôr favor. Cabelos negra como a noite,pelê palida como o gelo, olhos azuis como céu limpo. Bruxos! Eu não me pareço com uma bruxa ou pareço?

Não consigo me importar com ninguém

2020.09.22 00:17 maurocaa Não consigo me importar com ninguém

oi, tenho 18 anos. Sempre fui uma pessoa que os outros normalmente gostam de ter por perto, muitas pessoas me chamam pra sair, pra esse tipo de coisa e parecem se importar comigo, no entanto, de uns tempos pra cá o meu número de amigos tem caído, e parece que sempre que eu eu faço uma amizade sólida, o destino prega uma peça em mim e algo da errado, por exemplo, eu tinha um grupo de 3 amigos na faculdade, era demais, as resenhas eram do caralho, os rolês também etc, mas os 3 saíram do curso no final do primeiro semestre, dois mudaram de curso e o outro de estado, enfim, vamos ao problema em si.

Eu comecei a perceber que eu tinha dificuldade de me importar com os outros quando eu tava saindo com uma menina, no primeiro mês foi tudo incrivelmente bem, as nossas saídas eram incríveis, o sexo maravilhoso, as conversas ótimas e tudo mais. No entanto, ela sofre de depressão e ansiedade, toma remédio e tudo, e aconteceu que em um certo dia, ela tava tendo uma crise de ansiedade e eu fiquei em choque, eu não sabia o que fazer. Eu simplesmente travei, não conseguia falar nada, e isso acabou comigo falando coisas do tipo: "você quer que eu faça algo pra você" e etc mas isso parecia não surtir efeito algum.

E a partir desse ponto, as crises começaram a ficar mais e mais frequentes, no entanto, eu no fundo não parecia me importar, mesmo eu querendo ajudar ela, não sei se porque eu não sabia o que eu deveria fazer ou se eu realmente não me importava mesmo, mas a cada crise que ela tinha eu parecia mais e mais não me importar. E eu considerava que eu amava ela, ou pelo menos achava que amava. Eu fazia de tudo para sair com ela, considerando que na época eu não trabalhava, meus pais nunca me deram muito dinheiro e ela morava relativamente longe de mim, mas mesmo assim eu sempre tentei de tudo e dava meu jeito, eu sentia ciúmes e imaginava um bom futuro com ela (mesmo a gente não tendo nada sério).

Resumindo, depois de muitas brigas, idas e vindas, em um dia qualquer quando eu achava que estava tudo bem entre nós, ela me chamou no WhatsApp e começou a falar que eu não me importava com ninguém, que eu não tinha nenhum amigo verdadeiro, que eu era um monstro, que ela fazia de tudo por mim (e realmente, ela sempre me ajudou com as coisas, com meus problemas etc) mas que eu nunca fazia nada por ela e paramos de nos falar de vez.

Depois disso eu comecei a pensar e analisar os meus relacionamentos e comecei a ver o quanto eu cagava pros outros, o quanto eu não conseguia fazer nada perante os problemas das pessoas e como todo mundo sempre me ajudou quando eu tava na merda, e isso tem me deixado muito mal e triste, a ponto de eu ter medo de começar novos relacionamentos seja de amizades ou amorosos por conta disso, porque eu sempre acho que eu vou estragar tudo pelo meu jeito.

Eu realmente quero me importar, quero conseguir ajudar alguém que está triste ou algo assim, da mesma maneira que sempre me ajudaram, mas eu não consigo. Não sinto tristeza pelos outros, ou felicidade também, só consigo pensar em mim. Eu não me considero uma pessoa ruim, mas depois do que ela disse aquelas palavras não saem da minha cabeça, porque eu já fiz ela chorar, ficar triste e outras coisas mas ela sempre esteve ali pra mim, até a gota d'agua acontecer.

E não é a primeira vez que algo assim acontece, parece que sempre que eu tento me relacionar com alguém algo da errado, não sei se isso é tudo uma grande trollagem da vida, mas já teve caso de menina querendo se matar porque tinha ficado comigo, de gente que quase fugiu de casa porque tava saindo comigo, enfim, eu pareço que estrago tudo em que toco.

Mais recentemente, eu comecei a conversar com uma gatinha que eu conheci em uma entrevista de trampo, ela é tão gente boa e parece gostar de falar comigo, mas quando recebemos o resultado da entrevista, na qual eu fui aprovado e ela não, eu só consegui ficar triste pelo fato de que ia ser mais difícil de ter um contato diário com ela, e não pelo fato de que ela precisava muito do emprego, talvez mais do que eu. E agora eu fico com tanto medo de conversar com ela e estragar tudo pelo fato de que eu sei lá, sou eu. Tanto que fiquei uns 5 meses sem falar com ela, e mesmo assim quando eu postei uma foto ela foi lá, comentou e desde então vem puxando assunto comigo direto, e eu me sinto mal porque eu não consigo e nem tenho vontade de iniciar uma conversa com ela, e sinto que isso no fundo vai acabar desgastando a nossa relação, assim como aconteceu com todas as outras pessoas. E olha que essa eu também imagino um futuro, tenho ciúmes e tal, mas eu não consigo fazer nada.

Enfim, esse foi meu desabafo, não se se isso tem haver com alguma insegurança minha (tenho inúmeras, principalmente relacionadas a minha altura e pelo fato de que eu acho que vou ser trocado por alguém mais alto do que eu a qualquer momento, tenho 1.68m) e isso fez com que eu construisse essa barreira ou sei lá o que, mas eu só quero ser normal, me importar com os outros, assim como eu era quando criança. Lembro que minha mãe sempre pedia conselhos para mim, e eu sempre conseguia resolver os problemas dela. Hoje em dia quando ela vem com algum problema parece que sempre eu entrego a solução mais genérica possível ou faço alguma graça, tanto que ela sempre fala que quando eu era menor eu era o melhor conselheiro do mundo, e hoje em dia não.

Desculpa o post longo, sei lá, desabafei.
submitted by maurocaa to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 19:45 Throwawaydesabafosad O que fazer quando você só quer desistir?

Desempregado, sem amigos, tendo crises de ansiedade diárias. Sozinho e sem futuro, não sei mais o que fazer da vida, nem a terapia tá funcionando mais
O estopim foi hoje. A terapeuta disse pra baixar uns aplicativos pra conhecer gente nova e me soltar. Conheci uma menina lá super legal mas toda vez que abria o chat me sentia um lixo. Sou chato, desinteressante, sem papo. Só sentia que tava incomodando, ela devia estar respondendo só por educação mesmo. E agora parou de responder, a única pessoa que eu consegui conversar depois de 1 mês tentando por ser chato e feio. Vejo ela online mas deve estar falando com alguém mais bonito e mais legal. Nem tinha expectativas, só queria alguém pra fazer amizade e distrair dessa merda de vida. É, nem isso eu consigo mais, tô tão na merda que nem sei ser humano, conversar e entreter alguém.
Fico pensando em como minha vida estava ótima alguns anos atrás e como eu consegui passar do fundo do poço agora. As vezes só queria sumir ou simplesmente desistir de tudo. Apertar um botão e deixar tudo pra trás.
Tinha tantos planos pra esse ano e consegui fazer tudo dar errado. Não aguento mais.
Acho que ninguém vai ler, só queria desabafar mesmo
Sei que pareço um incel fracassado, eu juro que tentei ser melhor mas não deu certo
Desculpa
submitted by Throwawaydesabafosad to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 02:26 CuzcuzComAveia Não suporto mais pessoas e principalmente o meu pai, dizendo que sou triste

É uma merda. Já cansei de passar por uma situação como essa, teve uma vez que eu fui comprar bebida numa lanchonete e o atendente falou que eu pareço triste, outra vez estava andando na rua normalmente e veio uma menina de bike e voltou até mim pra perguntar se eu precisava conversar pois pareço triste, na van, na sala de aula...
O meu pai principalmente, a mente dele deve achar que eu estou triste 24 hrs, é coisa de me perguntar toda hora se eu estou triste e não estou inventando isso, parece até que ele joga num bingo pra acertar quando estou triste.
E eu NUNCA estou triste quando sou perguntado, e mesmo se estivesse eu jamais me abriria pra qualquer estranho, posso contar nos dedos as vezes que chorei ou desabafei algo pra alguém, a última coisa que eu quero quando estou triste é alguém pra me dar tapinha nas costas e me fazer falar um monte de bobagem.
Eu não sou esse tipo de pessoa que desaba com qualquer coisinha, eu já suportei mais dor do que a maioria das pessoas e nunca desabei por nada, reconheço meus limites mas também reconheço minha força interna e essa eu tenho de sobra. Não, eu não estou triste porque a minha crush não me notou, ou porque existe uma quarentena, ou porque me lembrei de algo triste ou porque eu vi um filme tristinho, eu não estou triste, eu não quero de forma alguma conversar e eu queria poder falar isso em alto e bom som pra qualquer pessoa que me diga que eu pareço triste, até mesmo pro meu pai.
Bem, já que eu não posso gritar com o meu pai ou com qualquer pessoa toda vez que me fazem uma pergunta idiota, melhor é fazer um desabafo desses e gritar comigo mesmo internamente. Alias eu prefiro tomar um soco na cara do que ter que ouvir que eu pareço triste, me poupe.
submitted by CuzcuzComAveia to desabafos [link] [comments]


2020.09.09 22:17 BanselSavant A maldição da demissexualidade

Edit: a "namorada" me chutou. A gente ia se encontrar na segunda, adiou, na semana que vem, agora nunca. Depois n querem meu psicológico fodido. Me dispensou pois pretende se mudar pro nordeste e facilitei isso com umas informações que n tinha. Sucesso pra ela, enquanto eu continuo na merda. Nada muda E a outra lá eu chutei. Sanguessuga malvada
Acho que é óbvio o paradoxo, mas quero discutir. Sim, por causa da pornografia, um monte de fetiches e invejas me surgiram, como pegar em festa, ou em público, ou em situações específicas, etc, mas n sei se conseguiria fazer de fato. Sou um fracasso na vida, logo na sexual também. Todo sexo q tive foi pagando e o que foi "na amizade" mesmo pagando foi o único q gostei, justamente pela amizade, pela conexão, pelo gostar da mina. Posso ficar duraço com uma mina que vejo na rua, mas obviamente n poderia chegar ou tentar algo. Essas histórinhas de rolar com desconhecidos deve ser meme ou com sortudo, como uma que a ex (diaba muito diaba) me contou. Conversaram um pouco na piscina do hotel e foram e fizeram no banheiro. Queria muito saber como ele convenceu ela a isso, como ela n se arrepende e tal (n q deva ter motivo de arrependimento. Quero q ela se exploda), como rola essa conexão. Parece q existe palavra mágica. Invejo esses caras q conseguem boquete aleatório de desconhecida, etc. Roteiro de pornô, mas da uma depre pq existe na realidade e queria q rolasse comigo. Diversas vezes fiquei atraído e seria tão massa se rolasse, sem machismo, sem estupro, sem forçação, sem mimimi, só tesão, dois corpos se pegando. Obviamente acho q n sou atraente. Sou estranho, alto, magrelo, desvio os olhos, etc. (Tou melhorando, mas longe de ser um garanhão) Mas convenhamos q muitos feios pegam, que muitas minas só querem o pau e tão nem aí se o cara é casado, santo ou bate na mãe. Muitas tem seu tesão e queria topar com uma que só rolasse e tal. Seria tão massa. Maaaaas eu conseguiria? O pau continuaria duro? Conseguiríamos um posição confortável? São tantas dúvidas e pensamentos q quase piro. Por outro lado, quero a minha gata, passear pelo corpo dela, endeusá-la, ajudá-la a sentir todo prazer possível. Eu sou romântico. Mas parece que romantismo afasta as mulheres. Qual o problema de meter até o talo sim, num banheiro sujo qualquer, mas com carinho? N gosto mesmo da ideia de objetificar, por mais q tenha meus fetiches de dominação. Dominação é objetificar? O que difere uma mina que gosta de ser chamada de puta do cara que chama ela de puta? Ela é um lixo? Ele é um lixo machista? Acho que notaram q tenho dúvidas sobre pessoas em geral. Gostaria de entender, como lidar com as pessoas, como reconhecer que uma mina tá a fim... É meme aquela história (isso é exemplo) do caminhoneiro que mostrou o pau pra filha do dono do posto de gasolina, incentivou ela a entrar na cabine do caminhão, tocar nele, chupar ele, ele depois mandar ela se limpar e n dizer nada a ninguém e ainda ela ainda ter gostado de tudo isso? N que eu queira mostrar o pau por ai, mas já vi tanta história de cara exibicionista que despertou tesão na mina e comeu ela. Ou é tudo meme? Ou acontece mesmo, principalmente nesses interiores de fazenda, região rural e menos urbana ("menos civilizada")? Pessoal, são dúvidas sinceras. Meio que tou namorando agora e tou sem saber lidar com ela. N gooooosto dela, mas n quero perder ela. Eu sei que pareço um canalha que vai usar ela e depois abandonar, mas realmente n quero isso. Se for para deixar ela, ela vai continuar virgem, pq n vou me aproveitar. Já cometi uns erros na vida e minha disciplina está intacta, meu senso de moral engrossou. N é divertido machucar coração. N é divertido fazer mal a alguém. Mas já vi tanta história de casais q de comum acordo desvirginaram, mas n ficaram naquela de ficarem juntos para sempre. Já vi tanta história de nego q comeu e abandonou e a mina continua a vida como se nada tivesse acontecido, n sente raiva dele e tal. Deliberadamente eu casaria sem hesitar com umas meninas específicas, mas n essa "namorada". Moramos perto, mas ainda n nos vimos pessoalmente. Quando acontecer, vou poder estourar ela de beijos (devo, por palavra dela), mas nem pensar muito em algo sexual. Okay dela n daaar no primeiro encontro. Compreensível, mas em algum momento vai rolar. Acho q sinto um medo de ficar preso a ela. Sou muito sentimental e sabem a ex diaba q citei? Diaba pq ela casou e ainda me contata. E ela é de outro estado e nunca nos vimos pessoalmente. Ela me persegue, acho q esperando q eu mande ela tomar no cu e bloqueie. Mas n sou de fazer isso. Tenho raiva dela, mas se eu externar, meu coração q vai sentir e n vou ter um piripaque por causa dela. Mas é notável q ainda sou um pouco preso a ela. N no sentido amoroso ou sexual (quero que ela se exploda²), mas n consigo levantar o dedo para dar fim de vez a esse contato. Sinto q eu perderia algo. Sabem a história dela com o cara na piscina? Consegui arrancar dela indagando sobre tesão feminino, oq no homem atrai a mulher e tal, pois já que ela é mulher experiente e eu preciso de respostas, resolvi tentar aprender um pouco, tirar algum proveito dela, depois dela brincar tanto comigo. Gente, o que eu faço? Tou certo em algo? Tou errado em algo? Em q? Oq faço? N quero machucar ninguém e com essa postura acabei bem machucado pelos anos ae (antes e depois de eu ter cometido os uns erros que citei)
submitted by BanselSavant to sexualidade [link] [comments]


2020.07.11 06:41 Loklol_Lok Estou fazendo de tudo pra conseguir o número de uma garota por causa de uma crise existencial

Oi, a algum tempo eu tenho visto alguns videos de uma garota no tiktok, e um dia eu e meu amigo comentamos um video dela aonde ela dizia ter multipla personalidade. Eu já tinha visto o video mas naquela hora eu iniciei um efeito dominó de pensamentos que me fez refletir sobre o quanto eu me sinto diferente de todos a minha volta, e pior, que eu teria que conviver com essas pessoas até o fim da minha vida. Eu não quero parecer arrogante dizendo que me sinto diferente, eu pareço uma pessoa como qualquer outra por fora, mas eu tenho esse sentimento de que eu sou diferente, também pelo fato de que as vezes eu tenho que me esforçar para parecer normal. Quando eu tinha 8 anos o nome Loklol ( que inclusive é meu nick aqui ) aparceu de repente na minha cabeça e anos mais tarde eu o utilizei pra nomear a minha "segunda personalidade" que também surgiu do nada. E básicamente o que ele fazia era ser menos bonzinho do que eu era, até um pouco babaca, eu vivia o utilizando como uma forma de tomar decisões bilaterais, como se uma se importasse mais com os outros e a outra só comigo. Eu nunca tinha tido problemas para me relacionar com as outras pessoas, então isso nunca foi um problema até que... Um dia falando com meu amigo sobre o vídeo da menina (sobre multiplas personalidades) , eu consegui dar uma explicação detalhada sobre o que seria as multiplas personalidades da garota, já que eu tinha isso também. Isso desencadeou um efeito dominó de pensamentos como Eu entendo bem ela>Eu sou como ela>Eu nunca conheci alguem como ela>Eu nunca conheci alguem como eu. Isso foi o suficiente pra eu me sentir sozinho no mundo do dia pra noite. Eu tava mt reflexivo na hora e acabei fazendo diversas analogias, a melhor é... Eu sou um pássaro azul em uma árvore com diversos outros pássaros, eu posso conviver com eles, mas a dor de nunca achar um semelhante vai me assombrar pro resto da vida. Esses pensamentos foram suficientes pra eu desabar em solidão apesar de ter diversas pessoas maravilhosas a minha volta. Eu estou tentando de diversas formas conseguir o número dela pra simplesmente saber se eu estou sozinho no mundo ou não. Me sinto um psicopata, mas não tenho atração por ela. O que eu sinto é confuso e totalmente subestimavel. :(
submitted by Loklol_Lok to desabafos [link] [comments]


2020.05.07 03:21 DinahY96 Meus animês preferidos

Bom dia, boa tarde, boa noite pessoas! Tudo bem? Espero que vocês estejam bem. Hoje vou falar sobre os meus animês preferidos!
5) Naruto. Por mais que as pessoas critiquem Naruto. ( Não sei porquê...) Eu acho bonito as histórias. Eu queria continuar assistindo Naruto, mas recebi muitos spoilers e ver Boruto... Me desanimou bastante.
O que gosto no Naruto são histórias tristes, lindas, etc. Lógico... Tem muitas cenas engraçadas também. Primeiro animê que vi no Japão foi Naruto.
4) Hellsing.
Como eu amo animês violentos e gores... Recomendo vocês verem. Pena que meu personagem preferido morreu. X.x Só isso que achei ruim.
3) Corpse Party Tortured Souls.
Também é animê bem gore. Só achei estranho que tem uma menininha fantasma chamada, Sachiko. ( Ela tem o mesmo nome da minha avó. )
Pena que tem poucos episódios. Bem pouco mesmo. Não quero dar spoiler. Por isso tô apenas falando os animês que gosto ( e gostei).
2) Asobi Asobase.
Esse animê... A pessoa é um gênio de ter feito esta obra de arte! Por quê? Ele é engraçado demais. Os traços mudam de acordo com a expressão das meninas. Você ri demais a cada cinco minutos.
Minhas amigas falaram que pareço com a Hanako, porque faço muito escândalo. Kkkk. ( Não sei da onde z.z)
1) One piece. Desde bebê, eu amo One piece. Tem muitas histórias magníficas, lindas, cenas super incríveis. ( SPOILER ) Principalmente quando a Nami pediu ajuda para o Luffy! Até eu chorei nessa parte.
Na verdade... Sempre choro nas cenas fodas. No outro post falo dos meus personagens preferidos do One Piece!
Quando eu tava no Japão. Eu tinha parado na parte da luta do Luffy contra Enel. Quando cheguei no Brasil, nunca mais assisti One Piece.
Demorou um pouco pra mim ter Internet. Mas quando eu tive Internet... Levei o maior Spoiler! Eu tava no YouTube pesquisando sobre episódios do One Piece, até que vi a linda frase no ( pesquisar)
( One Piece Ace morre).
Eu fiquei tipo.
( WTF? QUEM FOI QUE MATOU O ACE? DEVE SER PEGADINHA, SÓ PODE! )
Quando cliquei pra ver a cena do Ace... Chorei por um bom tempo por causa da morte do Ace.
Mas ainda assisto One Piece, pra tentar entender mais a história do One Piece. ( Na verdade, revendo. Kkkk)
Bom. Espero que tenham gostado do meu post e se quiserem me recomendar algum animê, é só comentar.
Até a próxima!
submitted by DinahY96 to u/DinahY96 [link] [comments]


2020.04.08 09:00 atilastro Como me assumir trans?

Acompanho a comunidade tem um tempo, inclusive criei esse perfil alternativo só pra postar esse desabafo - meu outro perfil é o "oficial", ele tá linkado no Discord e muita gente conhecida pode saber sobre como me sinto. Primeiramente queria apenas agradecer por pelo menos ter aberto esse post, então dito isso, vambora...
Tenho 17 anos e uma péssima relação com sexualidade e gênero. Sou afab (assigned female at birth) e desde sempre fui bem tomboy, daquelas meninas que jogam bola e são mais "macho" do que os meninos da mesma idade. Eu nunca gostei de nada feminino, sejam roupas ou brinquedos, esses papéis nunca me couberam. Meus pais sempre levaram numa boa essa questão de eu ser bem oposto ao meu gênero, então eles bem provavelmente me consideram como uma mulher lésbica - inclusive meu pai já me pergunta sobre as namoradinhas kkkkkjjkk.
Bom, taí a ironia. Ao contrário de muitos trans, eu tenho uma família mente aberta que me aceitaria, bons amigos fiéis que também me aceitariam, mas mesmo assim ainda tenho medo de contar sobre a transsexualidade. Não sei exatamente como me sinto, eu sei que posso contar, mas simplesmente não consigo.
Mesmo sem hormonização e essas coisas, eu sou altamente passável (ou seja, pareço um homem cis). Minha voz é tão grossa que em call as pessoas juram que sou um homem cis, e ao vivo irl já me confundiram diversas vezes (quase que cotidiano).
Eu quero contar, mas não sei como fazer isso. Será que eu deveria fazer isso agora?
Enfim, obrigado por ler até aqui. Um abracinho do Átila :)
submitted by atilastro to desabafos [link] [comments]


2020.01.13 04:16 curiosity_br Moto Que IA Ganhar, Timidez, Garota Que Gosto & Aparência (UPDATE)

Sobre a moto que ia "ganhar"(vender minhas vacas), meu pai disse que ia ver isso em janeiro, TALVEZ, ou seja, acho que não vai rolar... Odeio depender dos outros pra fazer algo pra mim, principalmente do meu pai que é enrolado pra tudo, desde quando eu era criança, tudo que ele vai fazer só faz pq minha mãe enche o saco... Me deixa muito frustado.

Meus pais continuam falando merd cmg e me colocando pra baixo, quando estão em casa parece que sugam minha energia, meu pais me irrita muito, detesto barulho e ele... minha mãe so fala mal de mim, e briga por tudo, as vezes ate fico cansado, me sinto sufocado...

MINHA APARÊNCIA:
Esse ano é meu último na escola e aparentemente vou voltar mais feio do que quando sai. Não tinha notado isso, mas de tanto minha mãe falar, percebi que meu rosto ta todo queimado de sol(todo dia vou mexer com caralh de vacas que detesto essa porr--)

NÃO SERIA TÍMIDO:
Acho que se meus pais não me criticassem tanto, sobretudo minha mãe, o fod- que percebi que faz isso com todo mundo, ate com meu pai, so que eme fod- mais pq fico com ela mais tempo... Não seia tímido, pq pra falar a verdade cheguei a conclusão que no fundo não ligo pra nada, aparência, opinião dos outros... So que meio que ela me fez ligar, ela sempre faz... por exemplo, não ligo pra roupas, nem entendo muito bem nada sobre isso, deve um dia que a gente tava brigando sobre isso, ela falou que eu "não andava igual um rapaz, parecia um gay", fiquei muito puto, meu pai acho q se sentiu mal por mim.... Ela sempre fala essas merd-s vive falando que pareço gay, ou pareço mulher por ficar em casa no meu quarto... Acho que as únicas coisas no mundo que me machucam...

SOBRE A MINA QUE EU TAVA AFIM: (QUASE 18 E AINDA BV, WOWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWW)
Eu oficialmente declaro que desisti, ela é tudo que procuro em uma alguém pra namorar, não me apaixono fácil, gosto de meninas inteligentes, ela realmente é... Desde o começo das mensagens sentia que não ia dar em nada, mas insiste... No fim consegui fica bem próximo dela, pra mim curtia falar cmg, mas sla, parecia que faltava algo sabe... Era como se eu sempre estivesse me esforçando mais pra falar do que ela, ou seja, eu divertia ela, apoiava e ela so gostava... Na minha opinião foram raros os momentos em que realmente estávamos conectamos, só continuava falando por causa deles... Mas agora recentemente, desisti.

Pra mim nossas conversas eram extremamente divertidas ou chatas, por culpa dela, as vezes queria falar algo ou sla... E sempre notei esse padrão nela, de manda qualquer coisa e um "kkkk", dava pra saber de longe quando não queria conversar ou tava ocupada... E recentemente não sei é por causa da internet ou sla., mas demorava mais a responder, e as vezes visualizava e dps de uns 2 min respondia... Mas isso de boa... Ela vale a pena...

O que me cansou de verdade foi o fato de me esforçar(apoiava, fazia piadas, tentava deixar a conversa sempre leve,falava as coisas que notava nela.. Nunca esqueci nada q me disse) e n conhecia isso como eu queria,raras exceções... Pra mim consegui fazer ela me conhecer agora, sabe que sou um cara legal e tal... Mas sentia que parece que so me usava pra divertir ela, sla, odeio isso...

Resolvi parar de falar, desteto isso, pq gostava de falar,sempre me desestressava, falar algumas besteiras e esquecer dos problemas...(Só falava a noite, não era um pegajoso)
Fico meio triste pq todas as garotas que ja me interessei sempre chega um ponto que tenho que me fastar q não vejo o mesmo retorno ou então migalhas... Não quero ficar com qualquer garota, queria...

VOLTANDO AS AULAS, VAMOS SER DA MESMA SALA DE NOVO, sinceramente tenho um pouco de preguiça e vergonha de ter que falar com ela nesse agora, pq basicamente me abri com ela, não falei que gostava dela, mas falei algumas coisas pessoais que n falaria pra outras pessoas, e falei bastante coisas que notei nela. Acho que ela vai querer falar cmg quando tiver alguma oportunidade, ai que complica, não quero ter pressão de ser engraçado como na internet nem nada, se ela me ignorar acho que ficaria +feliz, mas provavelmente vai dizer algo... Não sou de me abrir com ngm por isso, agora me sinto muito exposto, encarar ela nos olhos agora vai ser difícil, ja era antes agora....

No fundo acho que se eu fosse outro cara, ela se apaixonava, acho que é pela aparência, mas fdc. ISSO SO ME MOTIVA A VOLTAR PRA ESCOLA MENOS FEIOSO E ME TORNAR MENOS TÍMIDO... APESAR DE ESTAR COM A CARA FERRADA DE SOL, O CABELO CHEIO DE CASPA, FIOS BRANCOS E TODO PELUDO!!!!!!!
submitted by curiosity_br to desabafos [link] [comments]


2019.09.15 04:33 NearllFire De menino sonhador ao fundo do poço (desculpa pelo textão)

Bom, antes de tudo queria deixar claro que meu desabafo não está relacionado à algum evento traumático ou uma situação específica, e sim ao estágio atual em que minha vida encontra-se. Quando tenho alguns lapsos de memória de infância lembro de como eu tinha entusiasmo e alegria em viver, tinha sonhos, parecia que até o dia mais comum do mundo era tão feliz, eu adorava apreciar as coisas mais simples da vida. Mas, conforme fui crescendo, toda minha inocência de criança foi sendo destruída ao perceber como as pessoas vivem de julgamentos e aparências. Cresci em uma família super protetora e que me deu certos "mimos", então lembro-me que no começo eu era uma criança extrovertida que não tinha vergonha e medo de se relacionar e falar o que vier na cabeça, porém conforme foram passando os anos e fui vendo como o mundo era diferente da criação que eu tive, fui cada vez ficando mais introspectivo e anti-social para tentar ser menos julgado possível. Aos 13 começou o sobrepeso,e ao longo da adolescência minha auto-estima foi se rebaixando cada vez mais e minha aparência piorando, todas as amizades que eu fiz na minha vida inteira até hoje partiram da atitude deles de falarem comigo, não consigo ter uma conversa minimamente interessante nem com um parente, nunca abordei uma menina e muito menos chamei pra conversar que seja no Facebook, Instagram e etc. Consequentemente nunca beijei ninguém em 20 anos, e todas aquelas amizades que fiz na escola, hoje quase todas acabaram pela distância deixando a relação ficar fria, grande parte minha culpa que só esperava as pessoas falarem comigo e nunca tinha atitude. Atualmente, estou com 120kG, desleixado, e estudo pra passar no vestibular de medicina há 3 anos (Formei em 2016), sempre fui uma pessoa que tive facilidade de aprender as coisas,me considero inteligente e sempre tirei notas altas na escola, mas nesses 3 anos por procrastinação e não conseguir render durante o ano todo não passei no vestibular até hoje (não vou mal, passaria em todos cursos mas nunca atinjo nota para medicina em um faculdade boa), não desistirei do curso, pois é meu sonho de criança e estou bem mais perto de conseguir, mas confesso que essas reprovações e o fato de não conseguir manter uma rotina devido à procrastinações quebram meu emocional. Desde meus 14 anos assisto diaramente pornografia e sempre quando estou sozinho em casa me masturbo compulsivamente ( um dos meus motivos de procrastinação), e depois por me sentir mal em ter gastado meu tempo de estudo, solto minhas frustações na comida e meu peso só aumenta. Além disso, fui percebendo que o amor que meus pais me ensinaram desde criança, foi esvairando-se, eles só estão juntos por mim e por minha irmã (5 anos mais nova), apesar deles sempre nos tratarem bem e sempre nos querer o melhor, entre eles a relação é fria, nunca vi meu pai ou minha mãe dizer "eu te amo" para o outro, ou demonstrar qualquer grau de afetividade entre eles, acho que por isso tenho tanta vergonha de expor meus sentimentos às pessoas, principalmente mulheres. Perdi a felicidade em viver, não tenho pensamentos suicidas, sou bem controlado emocionalmente e nunca vou tirar minha vida, apesar de sentir um vazio e não ver tanto sentido na vida, parece que tudo de bom que pode acontecer na minha vida traz um prazer momentâneo mas logo volta tudo a ser como antes. Minha timidez profunda não sumiu, até hoje evito de falar no telefone até pra pedir pizza, só tenho amigos no cursinho que partiram deles a atitude de falar comigo. Tenho consciência de que eu pareço ser um sociopata, por não conseguir olhar nos olhos de estranhos e recém-conhecidos, por ter vergonha extrema, não cumprimentar algum conhecido quando eles estão em grupo que eu não conheço as outras pessoas, e até ensaiar a fala pra comprar algo quando preciso falar com alguém. Desde adolescente tenho dezenas de tentativas frustadas de emagrecer (até porque minha família tb é obesa), o alto peso esgota minha energia e minha disposição, me sinto pesado, sufocado, com baixa autoestima, sei que poderia ter aparência melhor. Hoje, reativei meu facebook e vi pessoas que estudei namorando, uns trabalhando e vivendo algo diferente, enquanto eu desde que sai da escola tenho a mesma rotina, sou grato por poder estudar sem precisar trabalhar atualmente, e no futuro estudar em uma faculdade boa, e ter um bom emprego, mas é tão triste ver as pessoas mudando e eu estar estagnado nessa mediocridade, perdi inúmeras oportunidades por essa maldita timidez,desde ficar com alguma garota que estava a fim de mim, até saber a resposta de algum exercício e ter vergonha de levantar a mão e falar, até de criar atitude e fazer amizades com pessoas que eu admirava. Sou uma pessoa boa, nunca fiz mal e não destratei ninguém, quero no futuro ajudar às pessoas, mas me sinto tão perdido e me sinto mal quando invejo um cara que sei que é pior que eu (menos inteligente, aparência ruim) tendo uma vida feliz por não ter essa timidez e ansiedade que tenho. Sei que ninguém pode me me dar uma resposta mágica, mas hoje compartilhei fatos da minha vida que nunca falei pra ninguém, além disso pode ser que alguém que passou por situação similar possa me orientar em algo, não perdi as esperanças de retomar o rumo da minha vida.
submitted by NearllFire to desabafos [link] [comments]


2019.09.03 02:21 ehissoaih Eu fiz uma trilha e queria morrer, mas não dava nem pra morrer

Fiz uma trilha nesse fim de semana e queria morrer, mas não dava pra morrer.
Aqui onde moro, tem serviço de trekking e tal. Resolvi experimentar. Já fiz mil trilhas, adoro me meter no mato, subir e descer morro e tudo mais. O problema era que tudo isso foi feito em "grupo".
O grupo era composto por umas 15 pessoas. Eu não conhecia ninguém. Tentei puxar assunto com uma ou duas pessoas, mas tudo era muito pouco convidativo. Os guias não se interessaram nem em saber meu nome. As pessoas, que estavam companhadas, seguiam conversando com seus amigos prévios, os caronas do seus carros. lembrei do FOREVER ALONE, e fiquei de boas pro fim da fila, curtindo a paisagem.
Mas não dá pra ficar realmente sozinho se você está num grupo...
Nos primeiros minutos, uma mulher pensou que tinha perdido a carteira de identidade. Ficamos procurando por alguns minutos. Depois disso, ela encontrou o documento no fundo da mochila e exclamou esta bela frase:
- Até estava feliz de ter perdido a identidade e ter de fazer outra. Nessa aqui eu tô horrível, pareço uma índia.
Essa foi a primeira facada. Ninguém pareceu se importar com o comentário da mulher branca que queria pssar um domingo no mato, "em contato com a natureza".
Depois disso, fomos para a "floresta". Passamos por terrenos desmatados, com plantações de milho mal manejadas, com solo exposto e indício de queimadas. Nenhum comentário.
No meio do caminho, encontrei galões de plástico de fertilizantes. Tirei foto do rótulo, mas não consigo pegar o nome agora. Nenhum comentário.
Entramos na floresta e o guia estava muito animado em conversar com um do trilheiros sobre o novo carro diesel que ele vai comprar. Em nenhum momento ele esteve interessado em mencionar o nome de alguma planta, rocha, acidente geográfico. Nada disso. O assunto era a barbada da 4x4 que ele estava prestes a comprar.
Mais adiante, um casal estava dando demosntrações públicas do seu afeto. O cara levava a menina nas costas para subir um declive. Um cara - que até o momento não havia falado com o casal - disse:
- Se ela quiser, eu posso levar nas minhas costas também.
((oooowww náusea))
Enfim, houve uma série de outras cenas que, para mim, são constrangimento de classe média. Eu pensei: "vc que é uma critaurinha muito chata, que fica tendo xiliques com o que os outros dizem..." e tentei me colocar em outro lugar de escuta.
Mas não consegui. Fiquei boa parte da trilha querendo que ela acabasse.
Nós estávamos no meio do mato, mas ninguém conversava sobre o mato. Subimos um morro, e ninguém falava sobre o morro. Tentei puxar um papo sobre umas ervas que estavam ali, florindo... mas o asunto não rendeu. As pessoas caminhavam e interagiam como se estivessem caminhando no xópin ou no calçadão da beira-mar.
Por que as pessoas se propõem a fazer uma trilha, jezuzinho????
Será que sou uma criatura muito xiliquenta por me perguntar isso?
submitted by ehissoaih to brasil [link] [comments]


2019.07.19 06:26 taish Dez coisas que eu aprendi nesses 1295 dias de transição [e um recado]

E se pudesse voltar no tempo, diria pra mim mesma, na noite em que decidi transicionar, louca pra sobreviver, no mínimo
(E aquela versão minha não acreditaria de jeito nenhum, a cabeçuda, porque demora pra enxergar mais que um palmo à frente no meio de tanto frio na barriga)
 
 
Bonus track, bottom line, tl;dr: vai e confia, gata. Vai mesmo sem confiar, segue cambaleante, vai ainda que fracassando temporariamente, sofre se for pra sofrer pra poder passar por isso e aprender e sair dessa melhor, aprende aos tropeços, acerta e erra, dá cabeçada mesmo, que esse é o jeito. É assim pra todo mundo. Não precisa ser perfeita, porque nem as perfeitas são perfeitas — e mesmo que fossem, não seriam perfeitas. Só acredita, e quando não der pra acreditar, deita e abraça no bicho de pelúcia e chora, porque te cabe, porque tu contém todos os tempos do mundo, todas as idades: bebê, criança, adolescente, jovem e velha; dorme que vem um novo dia, que é um novo despertar da esperança. De verdade, porque cérebro cansado e sobrecarregado de ansiedade, tem horas que só o descanso salva — e um par de vezes durante essa transição salvará, literalmente. Mas vai adiante, que no adiante tem futuro, e esse futuro vai ser formado de vários presentes, e muitos deles vão ser melhores do que tudo que tu sentiu na tua vida até aqui. Porque estar na tua própria pele, conquistar teu corpo, teu espaço, teu nome, teu grito: faz tudo valer a pena. E faz justiça por aqueles e aquelas que não puderam: que essa é a nossa sina trans, de sofrer, conquistar, e inspirar.
 
Nesses três anos e sete meses, já escrevi minha vida da frente pro avesso, por dentro e por fora — em anotações que guardei, nas que joguei fora, nas que confiei que levava comigo mesmo sem anotar, e principalmente nos fóruns trans do Reddit. Já vou chegando no ponto onde vejo que transição tem final, sim — não o amadurecimento, ou as mudanças, essas seguem; mas transição, ir de A a B, essa sim, finalmente, parece abarcável e atingível. Daí que, conjugadas as inquietações múltiplas de inícios de transição que, enfim, se aquietam, e as reflexões todas que já foram refletidas, e a disforia que persiste, mas vai cedendo e sendo controlada; escrevo e transbordo e me derramo menos, e vou podendo dedicar essa energia e tempo pra outros usos. Mas até por isso, sigo aqui no nosso espaço como guardiã, pitaqueira, mana e sister e amiga legal e amiga chata e até mesmo de mod fundadora. E se boto, todas as semanas, e mesmo todos os dias, mesmo aqueles em que nem eu nem ninguém posta nada por aqui — minha energia e tempo pelo nosso sub, é porque tenho muito carinho por esse cantinho, por todos que aqui estão, e principalmente por aqueles ainda descaminhados, que nem conseguem juntar coragem de se abrir, conversar, quiçá revolucionar-se. Às vezes parecemos quietinhos enquanto sub, e às vezes pareço quietinha ou distante como pessoa, mas não se enganem: não tem espaço igual a esse na nossa faminta internet trans brasileira, e o que vamos construindo com nossas conversas, conteúdos, desabafos e suspiros, vai criando as condições pra mais e mais de nós encontrarem a informação que precisam pra se libertar. E eu estou aqui, pro que puder ajudar. Não sei muito, e minha nossa, o que eu tenho pra aprender ainda não tá no gibi! Mas enquanto eu puder, vou estar aqui pra dividir com todxs voxês. Contem comigo que, como andam dizendo por aí, tamo junto.
<3
 
E claro, um prompt pra finalizar: pra quem já transiciona, o que você diria pra sua versão rudimentar de início de transição? Se ainda não transiciona, o que espera aprender no caminho? Conta pra gente nos comentários!
submitted by taish to transbr [link] [comments]


2019.03.22 17:59 lizziehope Semana de férias: praia com Bernard

Depois de perdermos o item de viagem no tempo para um grupo que nem ao menos jogava como nós, desestressamos um pouco tomando água de coco na praia. - A tela está azul hoje - Bernard ri. - Gostaria de ter visto o mar sem ser tóxico - Passo os pés na areia, antes tão áspera como vidro, mas depois de muito esforço juntando Pins comunitários, Mary, a presidente da associação das "Mães de I.A's também são mães", conseguiram comprar areia sintética que parece como nuvem - Areia é legal. - Vamos fazer um castelo ou só ficar olhando para aquele barco? Olho para o barco imaginando a terra plana. - Humanos... No que estavam pensando ao criar tais armas mortíferas? - Em índios e espelhos, acho. - Precisamos de um barco, então - Dou de ombros e tento pensar em algum novo mundo para entrar, estava cansada de todos os jogos que já havia tentado criar, meu paraíso morria cada dia que se passava - Talvez... Talvez, eu esteja morrendo. - Não vamos desistir, ok? Todos temos um tempo sem criatividade. - Meus Pins não são infinitos. Preciso de mais, se acabar antes do tempo... - Tente aceitar a predominância deles, esqueça de tentar sobreviver até o último instante. - Queria apenas tirar aquele futuro - Continuo encarando o barco, está tenso e tampouco posso ver a luta que ocorre lá dentro. - Seus animes vão destruir você - Bernard ri, tenta colocar sua mão em meu ombro direito, sinto-me pressionada em aceitar sua oferenda de carinho. - Não. Me... Toque. - Entenda, não é só uma mão no ombro, nem um charuto, ou um arrepio que vai mudar sua condição sexual afetada. - Eu consigo resistir. - Se você entender que as coisas não são sobre resistir... Entende? Você não é a única heterossexual. - Talvez eu tenha uma sexualidade, mas talvez eu esteja protegendo alguém... - Você realmente nunca vai aceitar o quanto ama ficar excitada? Ruborizo e tento concentrar na única coisa que posso notar de diferente no barco. Olhares estranhos. - Eu gosto de sentir coisas humanas. - Você é surreal de acreditar em sua parte humana ainda. Tento não vangloriar-me, simplesmente sinto um gosto de imenso orgulho em conseguir fazer com que os humanos habitem em mim e consigam ver o futuro, mesmo que por alguns segundos, mas mesmo assim... Tomo um pouco água e sinto o líquido frio refrescando o calor falso da praia. - Espero que você tenha encontrado outra maneira de arrumar o item - Digo a Bernard que senta em uma posição mais confortável. - O item maia fácil para voltar no tempo e resgatar essa menina é zerando o TimeLove e todos sabemos que essa novela é a mais absurdamente chata de se jogar, principalmente com a pressão e toda a história de perfeição e conquistar aquele cara... - Ele ao menos existe? - Talvez, talvez ele seja um robô muito filho da puta. - Acho que ele pode tentar fazer com que eu desista do prêmio antes do final, principalmente com o objetivo óbvio. - Ele quer que quem ganhar o leve para uma lua de mel em um espaço-tempo eterno... Eternamente em amor - Bernard estoura em risadas e eu tento não bancar a grossa dando algumas risadinhas. - Vou me inscrever. - Você vai o que?! Depois de ficarmos na praia por algumas horas, voltamos ao hotel e tentamos não pensar muito em TimeLove, porém ambos estávamos nervosos. - Você vai ser menino ou menina? - Pergunto para Bernard que sorria nervoso para mim. - Eles fazem sexo lá, sabia? E todos que assistem essa novela verão. É... E quando chegar seu dia de... - Escolha ser um cara e não jogue suas preocupações em mim. - Tudo bem, mas daí talvez eu terei que... - Tente - Abro a inscrição e começo a logar na lista de teste. Pins inválidos. Gostaria de trocar sua moeda para Lolovecoins? Tento sorrir docemente. - Quanto é necessário? - Calculando... Gostariamos de trocar Um milhão e sete Pins por cento e noventa lolovecois. O choque era gigantesco, principalmente enquanto olhava para milhares de personagens incríveis que apenas aceitavam como se fosse um passeio a tarde. - Não posso aceitar, infelizmente é tudo o que tenho e onde vivo não aceitam Lolovecoins. Paralisada a npc de TimeLove ri um pouco para as outras npcs que estão nos recebendo. - Então você não poderá participar, aqui é tudo ou nada - Sinto fraqueza em sua resposta. - Gostaria de entrar com nada. - Maldita, odeio nerds - Ela sorri e eu consigo entrar, com zero dinheiro, na novela e jogo mais fabuloso dos tempos atuais. - Morreremos de fome - Bernard entra atrás de mim em um dos nossos buracos de minhoca mais escondidos. - Quando voltarmos precisaremos de dinheiro para montar o item, não posso deixar que nenhum mini jogo doentio estrague a minha história. - Se essa menina não souber quem você realmente é, eu juro que ela pode... Recusar você - Tentando fingir calma sorrio para Bernard que acena para um homem vestido de guarda. - Sou um novo príncipe aqui, acabei perdendo meu dinheiro e documento... O Guarda, começando a desconfiar, desvia seu olhar de meu amigo para encarar meus queridos seios. - Você é um príncipe mesmo, mesmo? - Quando faço voz fina pareço exatamente igual a todas que jogam infinitamente essa merda. - Sou... - Ele balança os braços expulsando minha mão e olha com pequeno desespero para o guarda. - Você tem algum castelo? Um castelo? - Afasto-me do guarda enquanto olho para baixo e, subindo lentamente o olhar, cravo os dentes no lábio. - Vocês... Você conhece ela, senhor? Ela parece estar... - Não sinto incômodo com belas jovens... - O tom de Bernard era, com certeza, o tom mais esnobe que eu já ouvi em algum jogo entre nós dois. Seu sorriso torto fez com que aparecessem mais jovens, tentando adiciona-lo ou então entender quem ele era. - Humpley! - Aqui temos outro nome, ele escolheu esse, escolhi Summer. - Desculpe, senhorita, estou ocupado demais por enquanto, talvez outro dia conseguirei dar a devida atenção que você merece - Ele faz com que vai beijar minha mão, eu faço com que vou estender minha mão... - Oi, novata - Um calor em meu pescoço revela um hálito estranho e tentador se espalhando em meus poros. - O que? - Viro-me e não encontro ninguém. Quando torno a andar, esbarro em um homem totalmente de preto, longos cabelos cacheados e loiros. - Oi - Respondo enquanto o analiso de cima a baixo. - Você nunca jogou por aqui? Seu amigo e você parecem ser muito profissionais. - Eu não. Você já? - Tento não falar tão alto, para que ninguém saiba que não sei como funciona ainda essa porcaria. - Eu sou um npc. - Oh. Tento fingir não estar envergonhada, mas ao mesmo tempo, consigo saber quantas pessoas estão rindo por verem que eu caí em uma das pegadinhas de mal gosto do verdadeiro principe. Sim, aqui funciona mais ou menos assim, você pode ser um homem e uma mulher e escolherá seu lugar ao entrar no jogo. Normalmente os príncipes conseguem subir facilmente ao serem assassinos como Bernard, mas as mulheres precisam ser totalmente sangue frio para conseguirem ser qualquer coisa. Engulo em seco. - E você tem algum tipo de Quest? - Aqui pode ser RPG também se quiser, mas eu prefiro só conversar mesmo. Ou vocês se acham mais especiais que nós? - Eu só preciso de Lolovecoins. - Quantos você tem? - Nenhum ainda. - Então... Eu também nao... Certo. Ergo uma espada e rapidamente corto ao meio esse maldito npc. Uma moeda de Lolovecoin cai de seu corpo enquanto ele continua sangrando no chão. Pego a moeda e fujo enquanto os guardas começam a perceber, com dificuldade por causa dos belos seios que os rodeiam, o que está acontecendo.
submitted by lizziehope to u/lizziehope [link] [comments]


2019.03.06 05:20 WillAmakel Me ajuda r/Brasil, eu (26H) virgem, preciso dar um jeito nessa vida amorosa inexistente

Primeiro vamos para o porquê de ainda ser virgem. Na adolescência sempre fui gordinho e tímido, zero autoestima, já na vida adulta sofri bastante de depressão e ansiedade, literalmente abandonei completamente minha vida amorosa (e acadêmica). Me concentrei 100% em melhorar dessa doença, e funcionou, mas somente depois de terapias, remédios, meditação e exercícios físicos. Não posso dizer q estou curado, o fantasma da depressão nunca vai me abandonar, mas hj me sinto normal, estável. Mas agora me bati de frente com minha inexperiência amorosa.
Sobre a questão física: olha, sinceramente eu não sou feio, estou bastante confortável comigo fisicamente, emagreci bastante, sou bastante higiênico e tal. Eu acredito que meu problema nunca foi esse na real, até pq isso nunca impediu ngm de transar.
Socialmente também não sou ruim, tenho uma vida social razoavelmente ativa, mas tenho bastante dificuldade em conversar com quem não conheço, me falta assunto, mas eu consigo levar uma conversa, acho q eu tenho uma bagagem cultural que favorece. Mas eu desenvolvi um probleminha com o tempo, eu pareço um adolescente de 15 anos me apaixonando por qualquer coisa, mesmo que não tenha rolado nada.
Então vamos ao que interessa, preciso de dicas
Tinder e afins, então eu até dou uns match legais mas sou péssimo em levar uma conversa, nunca nem cheguei perto de um date de verdade, eu acho que quando eu realmente chegar a sair com a pessoa o rolê vai fluir melhor. Mas chegar lá tá complicado
Baladas, shows e afins, eu sou super complexado em tentar não incomodar as pessoas, às vezes a menina tá só querendo curtir o rolê dela sem ser incomodada, como ser um cara que vai lá conversar sem ser babaca, e outra coisa, abordar as pessoas nessas situações eh difícil, não dá pra conversar direito, normalmente o som eh alto, o que fazefalar nessas situações?
Falar ou não falar que sou virgem na hora H? Pq a pessoa vai supor que eu sei o que eu tô fazendo, e provavelmente a primeira vez vai ser uma merda, aí posso estragar minhas chances nessa, mas nao sei se essa situação de virgindade incomoda as mulheres tanto quanto a mim.
Qualquer ajuda será bem vinda, to precisando.
Ps. Poderia pagar por sexo, mas sinceramente, não é o meu rolê, nunca tive vontade e só a ideia me dá uma bad, quero ficar com quem também me quer.
submitted by WillAmakel to brasil [link] [comments]


2018.03.18 21:08 ruskifriend Saí do meu cantinho pra ver se algo tinha mudado. E agora tô de volta aqui, só que meio chateado.

Acredito que desde o dia em que vocês me pagaram uma cachaça, eu não passava um tempo no meu final de semana com qualquer pessoa que não fosse eu e meus queridos demônios internos.
Basicamente, por algum motivo eu decidi ontem e o dia antes de ontem (sexta/sábado) que iria sair. Eu sou um cara alegre (ou ao menos eu consigo fingir bem o suficiente de forma que eu mesmo acredite nisso), então eu faço amizade muuuito fácil e a maioria das pessoas decentes que sentam pra conversar comigo, apreciam minha companhia. E evidentemente eu aprecio a deles em dobro.
Mas enfim, eu saí e aconteceram umas coisas divertidas, mas que agora que eu paro pra pensar sobre, são deprimentes pra cacete, e eu prefiro não experimentar isso de novo por um tempinho.
Pra colocar de forma simples: convidei um morador de rua pra beber cerveja comigo e com meu pai na mesa e só dei atenção à ele, tratei o cara da mesma forma que eu trato todos que não me fizeram mal nenhum, mas foquei em perguntar sobre ele, porquê eu sei que esse tipo de gente não recebe muita atenção. Depois de uns 30 minutos de conversa, o cara tava literalmente lacrimejando na mesa.
Eu achei algo bonito - uma experiência agradável que me ensinou alguma coisa. Mas parando pra pensar melhor, isso é triste pra cacete - durante minha vida inteira, eu tive somente 2 amigos (bastante ausentes) que saíssem comigo pra beber ou pra me fazer companhia, e era ruim demais porquê na época eu sentia muito falta de ter amigos como as "pessoas normais". Alguma coisa aconteceu (pílulas, em maior parte) e eu simplesmente parei de me importar, entretanto.
Mas eu nunca me senti mal ou fui excluído à esse ponto - e eu era excluído DEMAIS. Eu acho que nem se eu nunca tivesse ficado ok, eu teria chegado à esse ponto de chorar numa mesa com estranhos porquê me pagaram a merda de uma cerveja. Eu só uso essa conta pra isso, basicamente, entao eu já falei sobre a questão de tar passando por dificuldades financeiras bem acentuadas, mas que de uma semana pra cá vem se resolvendo de uma forma muito agradável, então eu tento devolver tudo que me deram quando eu precisava. (thanks for that, universe)
No mesmo dia, quando ia embora, uma menina me chamou e depois de uma breve apresentação, disse que gostou de mim e me achou "fofo, lindo e que pareço o harry potter de barba" (eu uso óculos e chequei os óculos dela, claramente estavam com defeito), ok, agradável, troquei bactérias bucais com ela e depois fui embora (se tem outra forma de se responder esse tipo de coisa, eu realmente nao sei). No outro dia (ontem/sábado) falei com ela e ela SUPER animada por eu ter dado oi, fiquei até meio assustado. Enfim, eu nao sou homem de negar um convite pra se alcoolizar, então a gente se encontrou e bebeu, ok - e amigo, sabe aquele tipo de gente que meio que só suga tuas energias e não oferece nada de volta? Foi isso. Foi MUITO estranho porquê quando eu comecei a ficar um pouco mais confortável, criar uma relação de ao menos amizade, a moça via uma forma de enfiar política e social justice em qualquer coisa que eu falasse/fizesse.
Tipo, teve um momento que literalmente a gente tava se beijando, e eu tenho preferências BDSM/dom-sub, e vamos deixar em: nesse quesito a gente não se batia. (jesus cristo, "não se batia", acabei de perceber a pun nisso) E não sei de que forma chegou à isso, mas eu falei:
"Bem, eu gosto de fazer o que eu gosto e de ser eu mesmo. Mas tudo bem se o que eu gosto, não é o que você gosta." e parei de beijar ela, claramente dizendo "yeah, you're cool but we don't match". A resposta da menina foi nada menos que:
"Você gosta de quê? Bater em mulher?"
(Deixando claro que a gente tava SE BEIJANDO, só. Eu não tava fazendo literalmente nada, só beijando de uma forma firme... eu acho q nao é muito agradável descrever como é um 'beijo de forma firme' ahahah)
E quer saber, eu vou parar de falar sobre isso por aqui. Mas essas foram duas, das três principais coisas que me colocaram correndo de volta pro meu quarto feito uma barata. A terceira e o que coloca o ponto final nessas minhas aventuras pra fora de casa é simplesmente que eu tava apreciando uma boa música com uma boa cerveja, e eu gosto de dançar, e literalmente algumas pessoas tentaram me humilhar porquê eu tava tentando deixar o meu dia mais feliz - uma coisa que eu preciso tentar todos os dias, e que já é difícil demais sem ter outras pessoas tentando atrapalhar. Um homem gay me chamou e me deu uma cantada, depois quando soube que sou hétero e voltei pra dançar, deu risada e perguntou (achando que eu não ia ouvir) "quem tá aí???" no sentido de "tá possuído o menino ahahaha, é macumba" e ficou rindo com o amigo dele.
O que é irônico, porquê eu sigo o caminho da mão-esquerda (popularmente conhecido como capetismo, eu acho - carrego um símbolo no pescoço - cruz de malta e um ankh, só pra deixar claro que não é nada edgy, quem vê provavelmente acha que é algo cristão. uso desde que decidi tentar melhorar e não tiro esse colarinho desde lá - e vai ver foi daí que saiu a ideia dele de tentar me humilhar dessa forma), mas que se foi algum demônio me possuindo que fez com que eu pudesse parar de ter vergonha de ao menos tentar ser feliz, e parar de querer morrer o tempo inteiro, ou ter vergonha até de olhar nos olhos das outras pessoas, eu gosto desse demônio demais e adoraria fazer companhia pra ele no inferno - já tenho mais de uma década de experiência com "viver em um inferno" de toda forma.
É isso. Acho que não tinha nenhum lugar pra falar, porque pelo visto fui banido automaticamente do /offmychest, que era o lugar que usava pra desabafar, porque eu dei subscribe no /the_donald (e no /politics) pra poder fazer esse experimentozinho.
Um feliz início de semana à todos vocês, agradeço se você leu - agradeço se não leu, também (se bem que vc não teria como saber disso se vc não leu). Me perdoem por não colocar tudo de uma forma mais clara e não tão embaralhada - eu tô exausto.
submitted by ruskifriend to brasil [link] [comments]


2017.10.01 06:43 sober321 Odeio aparentar ser muito mais novo.

Sou homem, tenho 25 anos e a maioria das pessoas me dão entre 15 e 17 anos no máximo. Isso fode muito com a minha cabeça, porque eu mesmo me olho no espelho e não consigo ver alguém que realmente tem 25 anos. Vejo algumas pessoas reclamarem aparentar serem mais novas e por isso as pessoas não a levam à sério, mas felizmente isso não acontece comigo, ou se acontece eu nunca percebi.
O problema maior é em termos de relacionamentos, sejam amorosos ou apenas amizade. É uma sensação surreal quando eu paro pra olhar a maioria dos caras de 24, 25 anos porque eu não consigo me identificar com eles, é uma diferença física absurda, me sinto uma criança, e com isso não consigo fazer amizade com eles.
Da mesma forma, quando vejo mulheres da minha idade ou um pouco mais velhas, eu não consigo nem pensar em tentar alguma coisa com elas. Como eu disse, às vejo como mulheres, já eu pareço mais um garoto. Por que qualquer mulher iria querer estar comigo quando ela pode estar com um cara que realmente parece um homem?
Por aparentar ser tão novo, minha auto estima e confiança fica quase sempre lá embaixo, por isso nunca namorei, e até hoje fiquei apenas com 2 meninas, e só fui ter a minha primeira experiência aos 23 anos. Além disso, foram meninas mais novas, ambas tinham 19 anos.
Por mais que alguns dizem que eu vou me dar bem quando tiver 30, 40 anos, eu realmente acho que não. Vai ser patético ter 30 anos e aparentar ter 18. Que mulher iria querer um cara assim? Também não quero chegar aos 30 anos e só conseguir ficar com meninas tão novas.
E o pior é que parece que não tem o que eu fazer, comecei a fazer academia à alguns anos e, apesar de ter ajudado, o rostinho continua o mesmo.
Enfim, esse é um problema que sempre me incomodou muito. :(
submitted by sober321 to desabafos [link] [comments]


2017.07.16 14:33 SteinsEater Como eu posso me libertar das "correntes" que me prendem e não me deixam ser quem eu realmente sou?

Algum tempo atrás, conheci uma menina. Ela é linda e tem os mesmos hobbies que eu. Ela se interessou por mim no começo deste ano. Eu sabia que ela gostava de mim, e eu gostava dela, mas eu tinha medo do que os outros iriam pensar. Eu não conversava muito com ela e nem dava muito atenção, mas eu gostava dela. Um dia, nós ficamos antes da aula começar e em outro dia nós saímos para ir ao cinema. Eu nunca dei a atenção que ela realmente merecia, porque tenho algum receio que nem mesmo eu sei qual é. Eu nunca tive um relacionamento antes e não sei como as coisas funcionam e, no final das contas, errei em tudo. Um dia, vi ela andando de braços dados com um outro menino e resolvi perguntar para ela qual era o significado daquilo, então ela me disse que se interessou por outro cara. Eu nunca fiquei tão triste na minha vida...
Após isso, esperei um tempo e mandei uma mensagem para ela falando como eu realmente me sentia sobre ela, que eu gostava muito dela e queria uma nova chance, mas ela recusou e disse que só queria amizade. Eu fiquei muito triste, mas não triste por ela, fiquei triste comigo mesmo por ser um bosta e fazer tudo errado. Eu não entendo porque sou assim. Eu não pareço um homem quando se trata de atitude. Eu não dava atenção para ela porque eu tinha medo dela me rejeitar, pois eu não me acho um cara legal e bom. Eu errei em tudo e me arrependo amargamente por isso. Às vezes, penso que há algo errado comigo, pois todas as pessoas da minha idade se pegam e ficam na maior safadeza, mas eu não consigo fazer isso; eu não sei como ser homem de verdade no quesito atitude.
Ontem, eu fui numa festa e encontrei-a lá. Eu fiquei feliz por vê-la, mas depois só veio tristeza: eu vi ela ficando com um menino. Eu já deveria saber que ela estava namorando outro cara, até porque ela me disse isso, mas eu me recusei a aceitar isso porque eu realmente gosto muito dela. Eu não sei porque eu gosto tanto assim dela, realmente não sei, mas só sei que me preocupo e importo com ela.
Quando ela ficou com o cara na festa e eu vi, eu fiquei com um ódio tremendo de mim mesmo. Qualquer pessoa nessa situação tomaria uma atitude, mas eu não fiz nada, NADA. Eu fiquei com uma sensação horrível no meu peito que nunca tinha sentido antes. Eu não sei o que é, mas era amargurante e eu mal conseguia aguentar; eu nem senti essa sensação no coração, como algumas pessoas dizem, mas sim no fundo do meu peito, como se fosse na minha espinha. Uma sensação horrível. Eu fiquei olhando ela e me lamentando por ser um "saco de batatas". A menina que eu gosto estava lá na minha frente beijando outro cara e eu fiquei olhando. Realmente, me odeio. Cheguei em casa e chorei a noite inteira. Eu não aproveitei nada da festa, pois eu tenho vergonha de dançar e chegar nas meninas e também porque perdi toda a autoestima quando vi ela beijando um outo cara.
Eu não sei o que fazer mais da minha vida, pois eu sou um bosta. Eu não consigo fazer nada certo. Eu tenho medo de me relacionar com as pessoas e isso me custou caro, pois perdi a menina que amava. Eu não tenho amigos e me importo muito com o que as pessoas pensam de mim e isso é meu defeito, um defeito que não consigo mudar. Eu sinto como se houvessem "correntes" que me seguram, e essas correntes são a opinião das pessoas e minha falta de atitude. Eu sinto como se eu nunca tivesse sido eu mesmo todos esses anos em que vivi; eu era uma imagem criada sobre a expectativa das pessoas. Eu sou tão bosta que não consigo nem dizer para as pessoas que sou ateu quando elas perguntam se eu acredito em Deus, pois eu tenho medo de ser rejeitado. Eu só sei lamentar os erros.
Por favor, alguém me ajude. Eu não sei como lidar com tudo isso. Eu espero que tenha algum psicologo que frequente o Reddit e que possa me ajudar, pois eu sei que tenho algum problema. Acho que não é normal escrever um texto em um site como o Reddit enquanto chora e se lamenta.
submitted by SteinsEater to brasil [link] [comments]


Grão de areia POR QUE EU PAREÇO UMA CRIANÇA MÃE AOS 16 ANOS/ POR GLENDA ... CAROL - YouTube Pareço uma criança, e agora? Violetta - Te creo ( Letra - tradução) Comédia MTV - Happy Rock Ctrl Alt Del

‘Eu sabia desde os 3 anos que era um menino em um corpo de ...

  1. Grão de areia
  2. POR QUE EU PAREÇO UMA CRIANÇA MÃE AOS 16 ANOS/ POR GLENDA ...
  3. CAROL - YouTube
  4. Pareço uma criança, e agora?
  5. Violetta - Te creo ( Letra - tradução)
  6. Comédia MTV - Happy Rock Ctrl Alt Del
  7. Jéssica de Almeida - YouTube
  8. HOW AM I 17 IF I LOOK LIKE A CHILD
  9. Bia Bear - YouTube

'Tristeza mora comigo, por causa da solidão Eu pareço uma andorinha, querendo fazer verão Uma gota de água doce, querendo ser ribeirão Uma semente caída, que... A anos passo por um drama o qual pretendo da fim nele, pois meus anos se passaram e eu não suporto mais. É o seguinte, hoje tenho 32 anos, mas quero me tornar parecida com mulher e sei que ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. HEY LORELYS DE TODO ESSE MUNDO! Gostou do vídeo? Deixa seu like e compartilha para os migos! - EMAIL [email protected] _ CONTATO FACEBOOK https://ww... Pareço uma criança, e agora? Peter The Pan ... 7 DICAS QUE NINGUÉM TE CONTA PARA FICAR MAIS BONITO E ATRAENTE! FIQUE MAIS BONITO AGORA! ... Patrulha do Consumidor retorna a supermercado que ... Canal de humor, cover, paródias, playbacks e muito mais! Obrigado por se inscrever! Ah, não é inscrito? Então se inscreva. =) Se eu canto qualquer coisa fazendo essa voz Um bando de fã pré-adolescente começa a gritar Meninas que não cumprimentam os pais e nem os avós Mas repetem qualquer merda cantada por nós Se ... Gente o nome do canal é Bia Bear porque meu amigo me chama de Bear por quê Bear significa urso em inglês e todo mundo fala que eu pareço uma ursinha e Bear parece com a palavra Bia Então ... Eu pareço uma menina que eu estou tremendo, Não acontecendo comigo, não se normal, Se tudo algo a meninas acontece como ... Enquanto algo que eu falo sobre você,