Cara partido namoro

Eu tenho medo dos meus sentimentos.

2020.08.11 21:39 themirrorball Eu tenho medo dos meus sentimentos.

Eu sempre fui uma menina muito tímida, de poucos amigos, mas sempre com relações intensas com todos ao meu redor, relações duradouras. Minha vida amorosa não foi diferente: me envolvi com pouquíssimos caras na minha vida, mas todos tiveram um significado especial e fizeram parte da minha vida por um bom período de tempo.
O problema está no fato de que todos meus relacionamentos anteriores acabaram por covardia minha, sempre que eu me via muito envolvida com alguém, me batia um pânico e eu pensava "vc não pode ficar vulnerável dessa maneira, e se ele fizer merda? acabou tua vida" e eu acabava terminando tudo. Fazendo isso, cheguei aos 20 anos sem sentir que me apaixonei alguma vez na vida, sem ter tido coragem de oficializar um namoro e sem ter meu coração partido, mas a que preço? eu não aguento mais fugir dos meus sentimentos.
No começo da quarentena, conheci um carinha que abalou minhas estruturas. Fazia tempo que esse sentimento não batia tão forte. Nos aproximamos de maneira muito rápida, ele demonstrou interesse em mim logo de cara, a gente tem muita coisa em comum. Eu pedi pra começarmos com calma pq ainda tava muito recente, então continuamos conversando como amigos, mas meus sentimentos por ele cresceram de forma rápida. Hoje, somos bem próximos. E meu sentimentos tão enormes, a vontade de fugir ressurge. Acho que ele não faz ideia do quanto eu gosto dele (não tenho só medo dos sentimentos, mas também dificuldade de expressá-los). Eu não quero perder alguém de novo por causa da minha covardia :(
submitted by themirrorball to desabafos [link] [comments]


2020.07.28 05:48 leepz2019 Um "amor" que eu não entendi

Olá me chamo L. (H.28) e venho buscar opiniões pra poder entender oque está acontecendo. Há 4 anos atrás conheci uma moça denominada D. Moça bonita e jovem 15 anos, só queria curtir e zoar a vida, quando eu a conheci foi em casa, naquela época consumimos maconha e vivíamos chapados, ninguém queria nada com nada, eu recém terminado e ela também. Nos envolvemos e aconteceu, a gente ficou e deixamos claro que não queríamos nós apegar tanto, porém não foi isso que aconteceu. Porém eu vinha passando por problemas devido ao meu término recente e vi que estava ali só por estar mesmo. Comecei a pensar e fui me afundando numa depressão profunda e amarga, porém não quis demonstrar isso, eu gostava muito dela e sabia que na idade dela não tinha porque envolver-la em algo desse tipo, afinal queríamos curtir. Passando um tempo minha mãe sabendo da minha situação me chamou pra ir morar com ela no nordeste, sem chão e sem nada resolvi ir sem hesitar. Expliquei para a D. que teria que ir embora pois não tinha mesmo condições de me manter nas condições emocionais que eu estava. Ela entendeu e compreendeu, sempre fomos muito sinceros um com o outro. Fui embora de coração partido por deixar a cidade e pessoas muito importantes pra mim pra trás. Chegando lá não consegui me adaptar e cai em depressão profunda, o único motivo pra eu sair da cama era comer e fumar cannabis. Passado um tempo comecei a me sentir mais disposto, saia pra passear beira mar, dar uns pegas bem assim dizer, uma euforia total. Cheguei a mandar mensagem pra D. Já que tinha me afastado por conta da depressão, porém ela tinha voltado com o ex, segui em frente afinal oque mais me importava era se ela estava feliz ou não. Passado uns 2 meses entrei em uma crise psicótica devido ao uso de cannabis. Passei por avaliação psicológica e fui encaminhado pra uma clínica. Foram os piores dias da minha vida, porém aprendi muita coisa ali. Eu já não queria mais morar lá no nordeste então saindo da internação resolvi fazer uso de drogas denovo sabendo que assim minha mãe me mandaria de volta pra minha cidade aqui no sudeste. Voltei e continuei a usar contrariando todo o tratamento da doença (esquizofrenia) uma simples tendência nada que me tornasse incapacitado de lidar com a sociedade. Certas vezes cheguei a sair e esbarrar com ela pelas ruas, cruzamos olhares mais ela ainda estava com ele e eu pensava que ela estava feliz e não queria estragar isso. Passado um tempo me atacou outra crise e resumindo segui pra uma internação mais severa agora aqui no sudeste e parei com o uso de drogas pra não atacar crise de novo. Fiquei um ano focado em trabalhar e cuidar de mim se manter relação amorosa com ninguém, isso foi ano passado. Um amigo em comum que namora uma amiga dela me disse que esses dias elas estavam conversando sobre mim, que ela aparentemente estava tendo um mal relacionamento com o namorado dela e disse que ela nunca me esqueceu e que gostava de mim depois de todo aquele tempo. O amigo me disse pra mandar mensagem pra ela, passado alguns dias eu criei coragem e mandei um oi pra ela no wpp. Sem resposta eu pensei, ela deve estar se acertando com ele, melhor eu deixar quieto. Passado mais alguns dias respondi um storie do instagram, não passou muito ela me respondeu com um emoji, logo voltamos a nos falar cada vez mais e mais. Perguntei se ela tinha terminado e ela disse que sim, antes de agente voltar a se falar ainda. Numa sexta feira tomando uma cerveja ela me disse que ia dar com o irmão, eu sem muito o que fazer chamei ela pra tomar uma em casa onde nos conhecemos, e ela aceitou e veio pra minha casa, já com a intenção de ficarmos, pois havíamos conversado por mensagem. O reencontro foi algo muito especial pra mim, algo que eu não consigo explicar. Ela passava quase a semana em casa, e quando ia pra casa dela trocava-mos mensagem do amanhecer ao anoitecer, eu achava me sentia muito pressionado mas sentia que ela precisava disso pois ela havia mencionado que também tinha parado de usar drogas que ocasionaram em crises de Pânico ou ansiedade não sabemos ao certo pois ela não quis ir ao médico saber sobre. Ela vinha tendo crises com certa frequência e eu sempre ajudei como pude, quando estava longe eu tentava distrair-la, quando perto abraçava, conversava, contava algo engraçado até passar tudo. Com um mês pedi ela em namoro durante uma festa que fazíamos em casa, ela aceitou, ficou emocionada ao meu ver, pois havia relatado que ninguém nunca tinha feito aquilo com ela, pusemos as alianças e comemoramos aquele dia. Ela passava muito tempo em casa e eu e meu irmão estávamos desempregados no momento, logo conversamos que ela vinha um dia da semana pra casa e nos fins de semana pra não pesar pra ninguém como havia combinado com meu irmão, conversei com ela e foi sem problema mas sempre ela inventava algo como está tarde ou vai chover ou que se sentia bem em casa comigo, pois o pessoal de casa sempre gostou dela e tratou ela super bem, entao eu ficava sem jeito de pedir pra ela ir pra casa dela. Mas sempre expliquei pra ela que quando eu pudesse eu traria ela pra morar comigo aqui, ela sempre ajudou como podia, não tinha dinheiro pois não trabalhava e eu ainda estava sem serviço pois nosso negócio estava parado por conta da troca de estação. Passando algum tempo realizamos a venda de um imóvel rural, recebi um bom valor da minha parte e sempre combinamos que quando o negócio voltasse a rodar iríamos trabalhar pra fazer esse dinheiro render então decidi pegar o resto das coisas dela , até isso acontecer aproveitamos muito, bebemos muito e curtimos muito, sempre comprei coisas pra comer sem necessidade, porém comprei muita coisa necessária também como roupas pra nós dois, comprei maquiagem pra ela, escova progressiva pro cabelo, trocamos de celular, comemoramos aniversário fomos em festas antes dessa pandemia é claro, aos pouco vi ela ficar cada vez mais linda de que quando a conheci. No caminho dessa curtição sempre reparei nas atitudes dela comigo, principalmente quando bebia ela me desagradava com certas atitudes, eu ficava extremamente magoado com aquilo e sempre me abri com ela e expliquei que aquilo me magoava muito. Coisas como, você tá parecendo meu ex, amigos que dava em cima dela eram melhores que eu, ou em certa conversa expliquei pra ela que ela me devia respeito, pois sempre respeitei ela e fiz o que ela queria, ela nunca teve quem fizesse essas coisas por ela, então eu fiz tudo na melhor intenção e felicidade por fazer ela feliz, ela me disse que não tinha por que me respeitar. Nós não éramos mais namorado, ela já estava morando comigo há mais de 4 meses, éramos praticamente marido e mulher, claro que tinha que ter respeito um pelo outro poxa. Sempre tivemos biometria do celular um do outro como sinal de confiança mas nunca olhei seu celular, uma vez ou outra só quando queria saber oque tanto fazia ali, e ela fazia também quando eu dormia eu acho, pois não via ela mexendo, até aí normal, apesar dos apesares sempre nos demos muito bem e eu achava que éramos felizes. Mas de nesses últimos 2 meses, reparei que ela já não se divertia muito diretamente comigo, só quando não tinha mais ninguém mesmo, se tivesse algum parente dela ou meu bebendo com a gente ela era totalmente radiante e feliz. Se eu for parar pra contar tudo que eu reparei com certeza vai ficar muito maior esse texto.. Continuando, mais precisamente a umas 3 semanas fomos a um aniversário do cunhado dela que eu sempre vou considerar como se fosse da minha família, inclusive sou muito grato a ela por ter conhecido ele e também a minha cunhada que é namorada dele e irmã da D. Enfim fomos a festa e chegando lá estava a família do aniversariante a mãe e os irmãos que eu conhecia aliás, tem um deles especificamente denominado J. Que ela sempre me falou mal, dizia que quando ele estava com a namorada ele era c..são e dava ânsia cada vez que ouvia o nome dele, porem recentemente a parceira dele largou dele e foi embora do estado. Até aí tudo bem, ele foi super simpático comigo, porém notei ela muito simpática com ele. Naquela noite fiquei assando carne na garagem em baixo onde se encontrava a maioria do pessoal, e ela distante de mim, direto lá em cima conversando com os irmãos do cunhado e nada de me dar atenção, percebi mas nem falei nada pra não ficar um clima chato na festa e nem começar uma briga com ela. Festa acabando chamei ela pra ir embora que a irmã dela ia levar a gente, ela estava jogando futebol no game com os irmãos do cunhado dela, e não me deu ouvidos direito, disse que estava vendo alguém jogar, eu falei vamo que o carro tá ligado já, ela disse que já ia, desci e falei pra irmã dela chamar que ela não queria vir, a irmã subiu, logo ela desceu, ao sair do portão torceu o pé, estava bem embriagada, todos estávamos, durante o caminho veio dormindo e chegou em casa subiu as escada deitou na nossa cama e logo adormeceu. No domingo ela acordou com o pé super inchado me chamou e eu perguntei se ela queria ir ao hospital ela disse que não, depois disso no meio do dia meu sogro liga pra ela perguntando se não queria ir na casa dele, disse que era melhor não ir por casa do pé, ela não gostou então fomos mesmo assim, bebemos rimos muito aquele dia, tudo normal, chegando em casa cuidei dela devido a pé e ficamos de boa, estava tudo normal aparentemente, na segunda ela ficou o dia inteiro no quarto devido ao pé inchado, na terça disse que iria na irmã dela e que a mãe ia lá e queria passar o dia lá, normal pra mim, antes de sair meu irmão havia pedido pra ela separar algumas peças que foram vendidas, ela disse que faria assim que chegasse. Na sexta feira antes disso meu avô havia sofrido uma queda e bateu a cabeça forte, no sábado do aniversário ele havia passado mal da pressão e ido ao hospital, desde então eu já estava aflito com essa situação e ela nem pra perceber, foi mesmo assim pra casa da irmã, no meio do dia me manda uma mensagem dizendo que o pé inchou, perguntei pra onde tinha andado ela disse que tinha ido ao mercado de apé, já fiquei meio irritado, pois há algum tempo ela já não ajudava nas tarefas de casa direito, coisa que sempre fiz independente de estar trabalhando ou não, paras as obrigações fazia corpo mole, pra se divertir era a primeira a agitar, blz. Me mandou uma foto do pé inchado, logo em seguida falei "quero ver essa disposição aqui em casa" e mandei uma palminha sobre a foto. Meu avô havia ido ao médico e eu estava extremamente preocupado. Não conversamos o resto do dia, mais ao anoitecer ela chega em casa me dizendo que tinha que voltar lá na irmã pra cortar a franja, só olhei e não respondi, por tamanha indignação com as preocupações minhas comparadas com as dela, que já não se importava muito com o que eu sentia e afins. Depois daquele dia ela se fechou e não saia do quarto nem pra comer, e direto eu vinha ver como ela estava, quando ela não estava vendo algo no celular estava jogando com o J. quem ela sempre falou mal, e estava rindo com o cara, toda hora conversando, e comigo nada de conversa, ia dormir tarde conversando no wpp e jogando, rindo com os outros e eu nada, fui ficando extremamente magoado e nervoso com isso tudo, cheguei a ter batedeira e tremedeira de nervoso, sensação de desmaio, fraqueza, decidi então ocupar a cabeça com serviço, enquanto ela ficava no quarto isolada falando só com quem ela queria eu me distraia com outras coisas. Na sexta feira resolvi puxar assunto com ela no wpp, já que ela não saia de lá, logo ela me respondeu e conversamos, disse a ela que não dava pra continuar desse jeito e ela concordou, eu também disse que desconfiava que havia algo errado ( mais uma coisa de intuição ou pressentimento não sei explicar) , ela me disse que eu tava viajando já, um pouco também é pelo fato de ela colocar o celular debaixo do travesseiro antes de dormir, coisa que nunca aconteceu e eu achei estranho mas nem falei sobre isso, durante a conversa me disse que tinha uma bagunça dentro dela que a vida dela era um caos e não queria me envolver nisso tudo, que cansou de fingir que tava bem e precisava pensar na vida, que tinha que ficar um tempo sozinha pra ver oque ela tava fazendo da vida dela????? Como assim? Depois de tudo que passamos que "conquistamos" , tudo que curtiu , dizia que me amava e eu também dizia, aliás ainda amo, cadê aquele amor todo que tinha me dito que tinha? Que nunca me esqueceu? Que eu era a melhor coisa que tinha acontecido na vida dela? Que eu era o homem que ela pediu pra Deus? Que eu ninguém tratou ela como eu tratei? Passou mais um dia, enfim logo ela mudou de assunto e desceu ajudar minha cunhada com umas coisas de casa, foi até mim, disse que me amava, me deu um beijo, e disse que havia melhorado um pouco, mais a tarde eu ainda trabalhando perguntei a ela, e aí tá de boa? Ela me respondeu.. Sinceramente não tô não.. Disse a ela que a hora que eu subisse conversaria Ela perguntou se podia chorar, pois estava com uma vontade gritante fazia tempo Disse que sim, que as vezes tudo que precisa é desabafar e fazer isso mesmo Eu subi, cheguei no quarto e liguei a TV e coloquei algo pra tocar num volume mais ou menos, abracei ela bem forte deitado na cama, e senti ela chorando bem baixinho pra não perceber, ali eu me senti muito mal mas muito mesmo, porém a gente havia conversado e ela me disse que não foi nada que eu tivesse feito ou falado pra ela, do contrário, era coisa dela e ela não queria me envolver, enfim ela terminou de chorar veio até mim e nos beijamos intensamente, sentou no meu colo e continuou me beijando, cheguei a pensar que transariamos. Ela saiu de cima e estávamos conversando sobre nada específico que envolvesse nossos sentimentos, ela me perguntou se eu tinha entrado no jogo que sempre jogamos juntos pra coletar recompensas eu disse que não e pedi pra ela pegar meu celular pra eu poder fazer isso, entrei lá e logo o J. estava online e me chamou pra jogar, joguei com ele na boa pq já tinha combinado, e perguntei a ela se ela queria jogar, sem hesitar ela entrou com a gente, jogamos até altas horas e foi bem divertido. No dia seguinte estávamos conversando normal e tudo até que um amigo em comum avisou que teria um churrasco de aniversário na casa dele a noite e teria chamado também a irmã dela e o cunhado, logo encaminhei pra ela e ela disse que tinha combinado almoço na casa da mãe do cunhado dela onde reside o J., falei mais eu nem sabia que se tinha combinado isso, e outra dava pra ficar pra outro dia, já percebi que ela não gostou e parou de falar comigo, subi no quarto pra trazer comida pra ela pois ela não havia saído do quarto, cheguei ainda amoroso e disse comprei algo pra você comer, ela disse que não tava com fome e não olhou na minha cara, pensei poxa denovo isso..algum tempo depois entrei no quarto ela rindo e jogando denovo com o mesmo cara, enquanto eu resolvia as coisas pro aniversário e trabalhava. Pouco antes de me arrumar entrei no quarto a mesma situação, não me senti mal exatamente por ela estar jogando e rindo com ele, fiquei meio chateado por que ela me ignorava. Enfim varou a tarde jogando e tive que pedir pra ela se arrumar se não nós atrasariamos, fez cara e se arrumou, e seguiu seca e meio calada igual a semana inteira, fomos para a festa.. Chegando lá se divertiu e tirou foto com todo mundo menos comigo..depois de um tempo ela me disse que estava passando mal e queria ir embora, trouxe ela em casa que é perto e pedi pra ela comer algo quando chegasse pra não acordar passando mal com dor de cabeça Ali eu tomei a decisão de fazer como se fosse um dia em que eu pudesse extravasar, Bebi como se não houvesse o amanhã, fui até 10 horas da manhã bebendo.. chorei muito desabafei muito com a minha cunhada que sempre foi parceira e amiga em tudo, inclusive da D. Subi e descansei, não vi ela acordar e quando acordei ela estava no banheiro, desci e continuei bebendo e pensando em tudo. Fiquei o dia sem inteiro sem entrar no quarto..quando entro me deparo com ela mais uma vez jogando e rindo com o cara, depois disso comecei a tremer e sentir batedeira denovo. Conversei com alguém e fui tomar um banho pra acalmar. Funcionou, entrei no quarto e acho quel ela percebeu que eu saí nervoso logo ela saiu do jogo. Na segunda feira ela ia repetir o mesmo esquema da semana passada e ia me ignorar..passei o dia inteiro pensado sobre o que fazer e como fazer e decidi subir pra conversar. Cheguei no quarto ela estava com a toalha ao lado..perguntei se ela iria se banhar ela seca me disse "vou"... Disse que a hora que ela voltasse precisaríamos conversar.. Ela voltou do banho e sentou na cama e disse.. Vai solta a letra.. Já rebati..é assim mesmo que você fala? Tem certeza que quer começar uma conversa assim? Ela disse não,, foi mal diz aí oque se quer Perguntei eai? As coisas vai ficar assim mesmo? Se não quer falar comigo, só ri e conversa normal com os outros? Ela disse eu não tô falando com ninguém 🙄 Já parei a conversa e falei ... Ó assim não dá nao...faz um favor e só arruma outro lugar pra você ficar e pode ir embora.. Sem hesitar ela disse hoje mesmo eu faço isso! Me doeu muito ter que dizer aquilo.. Mas para ela foi como se já tivesse esperando.. Então me dirigi a porta e disse, me faz um último favor? Ela disse hum? Falei.. Isso que você fez comigo, não faz com o próximo não.. é feio e é muito errado... Ela balançou a cabeça e disse... Tá bom Desci e fiquei inquieto lá em baixo, minha vontade era subir e falar tudo que estava e estou sentindo agora.. Ela me pediu pra ajudar a encontrar as chaves da sua casa, subi e quando abri a porta ela estava sentada chorando muito...aquilo me partiu o coração, mesmo assim encontrei as chaves e entreguei a ela.. Sentei ao lado dela quieto e esperei pela carona dela.. Pouco antes de ir me pediu um abraço. Nós abraçamos e nos beijamos uma última vez e enfim ela foi embora.. No dia seguinte atualizou seu status pra solteira nas redes sociais e posta indiretas como coisas do tipo a dar entender que já está em outra e isso tem me magoado profundamente.. Eu tenho tanto ainda pra falar..mas estou digitando faz horas.. Fica aqui um desabafo +
submitted by leepz2019 to desabafos [link] [comments]


2020.02.17 14:41 DizzyWritter Minha vida perdeu totalmente o rumo depois do término do meu relacionamento, e eu não tenho ninguém para conversar sobre

Bom, eu vou tentar resumir o máximo pois eu acho que ninguém aqui tem tempo pra ficar lendo uma história muito grande, mas vou tentar dar o máximo de detalhes possíveis.
Antes de namorarmos, já éramos melhores amigos por 6 anos, sempre nutri sentimentos por ela, mas nunca demonstrei afinal por todo esse tempo ela estava namorando, até que um dia ela terminou, passou um tempo solteira e foi quando eu tive a oportunidade de demonstrar o tanto que eu gostava dela, o máximo que eu podia, mas nunca passando da linha da amizade pois a respeitava muito, até que os dias foram passando, nosso sentimento foi crescendo e num belo dia estávamos namorando. Foi quando ela finalmente conseguiu se abrir e me contar sobre tudo que tinha traumatizado ela no relacionamento anterior, sobre quanto o ex namorado tinha sido abusivo, manipulador, babaca, entre outras coisas, e eu, como melhor amigo e agora namorado, sentei e ouvi, eu ouvi tudo sobre os traumas e inseguranças que ela tinha adquirido com aquele relacionamento, me tornei praticamente um psicólogo, ouvi coisas que até sinceramente eu não queria ter ouvido, mas para ajudar ela eu faria e fiz de tudo, e não me arrependo, eu ouvi, aconselhei, apoiei e coloquei ela pra cima, enquanto eu mostrava, dava todo o respeito e espaço e demonstrava que ela podia confiar em mim, que eu nunca ia fazer o que o cara fez, e acho que consegui fazer ela se sentir mais confiante, e não pensar mais nisso, deixar o passado pra trás e focar no futuro, e acho que depois disso ela ficou muito melhor.
Namoramos por 1 ano e eu posso dizer com certeza que foi um dos melhores anos da minha vida, nós vivíamos grudados, fazíamos tudo juntos, nos apoiávamos em todas as decisões, quando ela estava triste eu colocava pra cima, e vice versa, eu achava que tinha ganho na loteria e agora sim teria encontrado a companheira da minha vida, afinal, já éramos melhores amigos antes de namorar, eu não via nada que poderia dar errado. Depois de 1 ano de namoro e muito apoio moral e motivação por minha parte, ela conseguiu passar numa prova muito importante, e decidiu se mudar com os pais para outro estado, em busca de melhores oportunidades para o que ela queria fazer da vida, como nos amávamos bastante e não queríamos desistir, decidimos continuar com o namoro, dessa vez à distância, e a partir daí eu já comecei a me planejar, comecei a dividir minha jornada de estudos entre a faculdade que eu já estava na metade, e também comecei a estudar para concursos públicos, almejando uma vaga no estado para onde ela iria se mudar, já que na minha cabeça uma vaga garantida e a estabilidade de um servidor público me dariam a oportunidade de me mudar de vez pra perto dela, sair do meu ambiente familiar que é bem tóxico (isso talvez fique para outro desabafo), e a oportunidade de começarmos uma vida juntos, além disso, eu comecei a mandar currículos para um monte de vagas, na oportunidade de conseguir pelo menos um estágio, para ter um pouco de dinheiro e juntar para poder visitá-la.
Os primeiros 6 meses à distância não foram muito difíceis, apesar de ter as dificuldades da distância, conseguíamos ver coisas juntos, comentávamos pelo whatsapp, fazíamos chamadas pelo skype, até jogávamos alguns joguinhos multiplayer juntos para nos sentirmos mais juntos. O problema começou depois desses 6 meses, as brigas, que antes eram normais, coisas de casal, foram ficando mais frequentes, ela dizia que eu "não estava dando tudo de mim para ficarmos juntos", que eu estava "acomodado" e não estava "buscando de verdade emprego", que eu "nunca ia conseguir uma vaga do jeito que eu estava procurando", nós discutíamos, estressávamos um com o outro, mas eu sempre perdoava pois entendia que era problema da distância e juntos íamos conseguir superar, enquanto isso eu focava mais e mais nos concursos e continuava entregando currículos.
Mas as brigas continuavam, e foram ficando mais e mais frequentes, eu sentia ela mais distante, menos amorosa, tentava conversar mas ela sempre dizia que não era nada, algumas coisas de casal que a gente fazia e achávamos "fofinhas" não estávamos fazendo mais, paramos de fazer planos, praticamente tudo estagnou, ela estava muito distante, eu tentava animar, escrevia alguns textos pra tentar animar, mas acabávamos brigando pois ela dizia que eu só falava e não via nada mudar, apesar de eu estar tentando mais que tudo fazer as coisas darem certo. Até que um dia, no finalzinho do ano, sem termos brigado, sem estarmos estressados um com o outro, sem nada, ela me manda mensagem dizendo que quer conversar e termina comigo, sem mais nem menos, dizendo que "estava cansada da distancia", que "me falava as coisas e eu nunca mudava" se referindo à minha forma de tentar arrumar emprego, que eu "nunca ia achar uma vaga dessa forma" e que "estava cansada de namorar um celular". Eu tentei argumentar para que talvez continuássemos juntos mas ela estava decidida e disse que isso seria "empurrar com a barriga o relacionamento", mesmo contrariado e triste, eu aceitei o término e pedi pra ficar um tempo sem nenhum contato com ela, já que eu ainda tinha sentimentos e teria que ter um tempo pra ficar sozinho e ver o que eu ia fazer, ela aceitou, mas acabou que semanas depois ela sempre me mandava mensagem pedindo algum tipo de ajuda, e eu, besta que sou, ficava achando rude não responder ou negar, e sempre ajudava.
Então, se passou um mês do término, eu ainda estava na merda, e por um golpe de sorte, um pouco de intuição e ajuda de alguns amigos em comum, eu descobri que ela já estava com outra pessoa, e dizendo que "era uma situação atípica", que ela estava com raiva e não queria mais saber de ninguém depois do nosso término, mas que "o universo agiu para eles ficarem juntos", que eles estavam "só se conhecendo, indo devagar", e que "ele entendeu ela, e deu mais confiança no pouco tempo que se conheceram do que eu dei em todos os anos de amizade e namoro".
E agora eu estou aqui, depois de saber disso, quebrado, vazio, machucado, sem rumo nenhum na vida, pois tudo que eu mais queria era ficar junto dela, e agora não tenho mais nada, estou flutuando entre dias que estou "bem" e até consigo me concentrar em uma coisa ou outra, e dias que eu não consigo fazer nada a não ser ficar deitado o dia todo vendo vídeos aleatórios, até dar a hora de fazer alguma obrigação em casa, e até chegar a hora de dormir, onde eu me abraço no travesseiro, choro e depois durmo, eu não sei mais o que fazer da minha vida, e o que piora é que eu estou num momento que não tem nada pra fazer, eu acabei de acabar um curso que estava fazendo nas férias, tentei entrar em outros mas não gostei de nenhum, minha faculdade só volta no começo do mês que vem, e eu estou totalmente perdido, eu sinceramente não vejo mais nenhuma beleza na vida, estou quase abraçando a ideia de que relacionamentos não foram feitos pra mim, eu já sou chato pra gostar das pessoas, algumas já passaram na minha vida, mas amar mesmo (100%, como eu penso que é amar), eu só amei duas pessoas, e essas duas conseguiram me deixar de coração partido de uma forma ou outra, eu estou muito tentado a me fechar pra sempre para relacionamentos, eu não sei mais o que fazer, nem sei como tirei forças pra escrever tudo isso, eu não tenho ninguém para conversar sobre isso pois todos os amigos que eu tentei falar sempre me falavam coisas como que eu devia "sair para a balada e pegar todas" ou comer uma p***, mas eu não sou assim, nunca fui e não pretendo ser, então eu descobri esse subreddit e decidi escrever aqui pra tentar deixar meu coração mais leve, e talvez algum de vocês ler e conseguir me dar um conselho, uma luz, qualquer coisa, desculpem pelo texto gigante, eu espero que vocês leiam e me ajudem, muito obrigado por terem aberto essa oportunidade das pessoas desabafarem, desde já obrigado demais a vocês.
submitted by DizzyWritter to desabafos [link] [comments]


2019.06.15 21:48 V01000010 Não consigo ser sincero sobre meus sentimentos

Vocês devem receber um monte de corações partidos por aqui, desculpem por ser mais um, é que não tenho mais ninguém pra conversar. E desculpem também pelo texto meio longo, precisava colocar tudo pra fora, mesmo que ninguém vá ler.
Um breve resumo sobre minha vida amorosa: A última vez que me apeguei emocionalmente foi há 4 anos, sofri muito, e desde então só tenho tido relações sem compromisso nenhum. Até que há umas semanas atrás uma garota entrou na minha vida, a gente já se deu bem desde o começo, começamos a nos falar todo dia, do bom dia ao boa noite, era tudo muito recíproco e bom, ela mesma já disse que conversar comigo fazia mt bem a ela, e demonstrou se importar comigo várias e várias vezes. Durante todo esse tempo eu me torturava pensando se estava pronto pra me entregar à alguém de novo. Até que decidi me permitir apaixonar por ela, coincidentemente no dia que eu tomei essa 'decisão', ela quis conversar sobre a nossa relação. Eu falei primeiro, e expliquei que pra mim aquilo significava muito, já que eu estava disposto a confiar em alguém depois de tanto tempo, e perguntei se podia confiar nela pra isso. Ela disse que prometia não me magoar, mas logo em seguida disse que não estava pronta pra um relacionamento sério agora, pq tinha acabado de sair de um namoro há pouco mais de um mês e ainda não tinha superado totalmente o ex (e de fato, não dá pra culpa-lá, não é justo querer que ela finja que um namoro tão recente nunca aconteceu), mas também disse que não quer se afastar de mim por causa disso, já que eu era muito importante pra ela. Desde essa conversa as coisas estão muito estranhas entre a gente e eu sinceramente não sei o que fazer. Parte de mim acha que ela tá só me usando pra superar o ex, mesmo que inconscientemente. Por outro lado eu tento ser mais compreensivo, já que o término tá muito recente. Enfim, não sei o que fazer, talvez ela realmente goste de mim e só precise de tempo ou talvez eu esteja sendo usado mesmo... Não sei se devo me abrir e dizer o que sinto, e correr o risco de quebrar a cara, ou deixar por isso mesmo e nunca me perdoar por não ter tentado... Estou sofrendo por não saber o que ela sente por mim, mas posso sofrer muito mais se o que ela sentir não for o mesmo que eu sinto... É muito difícil pra mim ser sincero sobre o que eu sinto depois de tanto tempo sem me apaixonar assim, essa ideia de vulnerabilidade literalmente me aterroriza e eu estou com muito, muito medo de me magoar de vez e não conseguir gostar de alguém tão cedo... É isso, não sei o que fazer, estou completamente perdido, e já estou muito triste, pq tudo indica que isso tão tem como ter um final feliz... 
submitted by V01000010 to desabafos [link] [comments]